Projetos Urbanísticos > Ciclovia Curitiba

Assim como um grande empreendimento, a localização de centros de ensino, pesquisa, faculdades e universidades na cidade, produzem grandes impactos ambientais e urbanos em determinadas áreas, exigindo uma alteração nos padrões de mobilidade para atender o grande fluxo de estudantes, professores e funcionários, com a ampliação da rede de transporte público coletivo e principalmente, o que se evidencia, uma ampliação do espaço viário para os modais motorizados individuais.

A intenção desta proposta para a cidade de Curitiba visa ampliação da malha cicloviária existente em 49 km, interligando os principais campi universitários da cidade de Curitiba entre si e estes com os principais centros de pesquisa, cultura, arte e lazer, entre eles, o Tecnoparque e os centros artísticos e culturais localizados na área central da cidade.

É importante ressaltar a presença de várias universidades na área central, o que também justifica essa integração e principalmente, cria uma nova alternativa de acessibilidade ao centro com uma mobilidade de baixo custo, tanto no que se refere à sua implantação, operacionalização e baixo impacto ambiental.

A nova rede cicloviária aqui proposta segue o princípio do reordenamento ou redistribuição do espaço viário, que atualmente encontra-se 80% ocupado pelos veículos motorizados privados. Levando ainda em consideração a existência de amplas áreas de estacionamento público e as estimativas de que um automóvel permanece estacionado cerca de 22 horas diárias ocupando um espaço público de 12m², entende-se que uma política de mobilidade ciclo inclusiva não deva restringir suas ações meramente à implantação de passeios de uso compartilhado entre pedestres e ciclistas. Ao contrário, como uma maneira de desestimular o uso do automóvel, deve-se redistribuir o seu espaço entre os demais modais de transporte, notadamente a bicicleta.

Neste sentido, a intenção de projeto é a retirada de faixas de estacionamento público e mesmo a substituição de pistas de rolamento com a implantação de vias cicláveis atrativas e seguras e a ampliação do espaço exclusivo para pedestres.

As vias cicláveis distribuem-se entre ciclovias bi direcionais, segregadas das autovias e das calçadas para pedestres, em nível ou desnível localizadas em vias arteriais e rápidas, onde o fluxo e a velocidade do tráfego são maiores.

Um cuidado e tratamento maior estão nos cruzamentos entre as autovias e as ciclovias, pois são os locais que concentram a maioria dos acidentes por atropelamento. Portanto, é de fundamental importância a adoção de medidas que reduzam o fluxo e a velocidade dos autos, até mesmo em favor de pedestres.

ANO: 2008
ÁREA: indefinida
LOCAL: Curitiba – PR