Projetos Urbanísticos > Pedreira

Uma pedreira em final de atuação inserida em uma região de extrema carência de serviços para a população.

Sua posição geográfica é impar e extremamente importante no contexto da cidade. Ao norte um bairro adensado, predominantemente ocupado por residências construídas em áreas de invasões e sem estrutura sanitária. Ao sul, um bairro formado por pequenas chácaras que ainda preservam a natureza e proporcionam uma boa permeabilidade do solo, justamente por ter em seu leste a represa Billings, um importante manancial para a metrópole.

A uma distância de 300m de um dos braços da represa, esta área conta com um lago formado pelas escavações e grandes platôs ao seu redor.

Além da topografia inusitada, onde em alguns pontos mais altos é possível ver a represa, o acesso pode ser feito por uma avenida e uma rua. E com uma cidade carente de espaços públicos foi possível propor um grande projeto de revitalização.

A ocupação desta represa tem como finalidade requalificar uma área degradada, fornecendo às comunidades vizinhas serviços e espaços públicos.

A construção principal é formada por três pequenos edifícios que se unem através de uma grande ponte / passarela com 10 metros de largura e 120 metros de comprimento. Cada edifício tem um uso específico: auditório, biblioteca e administração do parque.

A estrutura do parque também conta com um estacionamento, trilhas e um mirante que permite a vista para a represa.

ANO: 2001
ÁREA TERRENO: 90000,00 m²
ÁREA CONSTRUÇÃO: 8000,00 m²
LOCAL: Represa Billings – São Paulo – SP

EQUIPE: Vinicius Rabelo, Rogério Laporta e Marcos Paulo Caldeira.